Cisne Branco vence regata Internacional do Atlântico Norte

CB02
Como parte integrante das atividades programadas pela “Sail Training International” (organização europeia sem fins lucrativos, criada com o objetivo de formar jovens pela arte de navegar), o Navio-Veleiro (NVe) “Cisne Branco” venceu, no dia 5 de agosto, a 5ª etapa das regatas que compuseram a “Tall Ships Atlantic Challenge 2009”, maior evento náutico realizado esse ano, sendo a única de que participou.
CB03
Este grande evento náutico começou em Vigo (Espanha), em maio, passando por Tenerife (Espanha), Bermuda, Estados Unidos, Canadá e Irlanda, com veleiros de várias nacionalidades, alguns integrando a frota durante todo o percurso e outros apenas parcialmente, como foi o caso do NVe “Cisne Branco”.

A regata estava prevista para cruzar o Atlântico Norte, saindo de Halifax (Canadá), indo até Belfast (Irlanda), retornando a Europa. O tempo total estimado para a travessia era de 23 dias, sendo que o veleiro brasileiro completou o percurso em apenas 15 dias, sendo o “Fita Azul” (Line of Honours), prêmio destinado ao primeiro navio a cruzar a linha de chegada, independente da classe e do tempo corrigido (fator utilizado para equalizar o tempo entre veleiros de características distintas).

Além do “Cisne Branco”, estavam inscritos na regata veleiros da Alemanha, Bélgica, França, Holanda, Portugal, Reino Unido, Rússia e Uruguai. O navio veleiro russo “Kruzenshtern” participou apenas da largada, em virtude de séria avaria sofrida no mastro do traquete (mastro mais avante dos quatro que possui), ocorrida dias antes da largada.

A derrota inicialmente traçada passaria próximo à área onde houve o acidente com o Titanic, em 1912, porém os organizadores da regata propuseram que os navios montassem uma boia localizada mais ao sul para evitar a rota dos icebergs, tornando impossível a navegação direta para Belfast e acrescentando dose extra de desafio para os competidores.

Foram 15 dias de navegação, onde o navio enfrentou calmarias e mares agitados, com ventos de até 48 nós, (89 km/h) e ondas de 7 metros de altura, totalizando cerca de 2.350 milhas náuticas (4.350 km) e variações de pressão atmosférica de 25 milibares, muito acentuada se comparada com a média encontrada no Atlântico Sul, alcançando o máximo de 16,3 nós de velocidade.

Além de ser o “Fita Azul”, o NVe “Cisne Branco” recebeu os prêmios de primeiro lugar entre os navios de sua classe e o de segundo lugar geral (considerando-se todos os navios das demais classes participantes) entre os 12 competidores, elevando o nome do Brasil à posição mais alta do pódio das regatas internacionais de veleiros clássicos. CB01

Sobre Ricardo Amatucci

Trabalhar com amor, afinco e seriedade. Chegar lá será a consequência!
Esta entrada foi publicada em Uncategorized. ligação permanente.