Rally-ween

Feriadão de finados sem chuva? Morreu alguém… Não, não. Foi verdade. Dizem que depois de 30 anos. O fato é que combinamos de sair numa tchurma pro Bracuhy e ir a uma festa de haloween que teria por lá… E lá fomos nós… flotilha2 Na foto tirada pela amada Diana uma parte da galerinha. Ventos constante de 11 a 14 nós que deu pra orçar até lá. Maravilha… Há muito tempo não deixávamos o motor quietinho lá no porão…

Janjas1
Fui pertinho do meu amigo-e-ídolo-e-professor Janjão, que estava lá com a família. No dia seguinte saímos pelo meio da manhã com pouco vento até a ilha do Cedro. No caminho, como quase sempre acontece por lá, um bando de golfinhos pra lá e pra cá se alimentando. Desliguei o motor e tentei me aproximar na vela, mas o vento estava muito fraco e o mar batendo na proximidade das ilhas e lajes de lá. Ainda assim conseguimos ver um que se aproximou a toda velocidade e passou por baixo do Tangata, para delírio da tripulação… Ficamos naquele êxtase que só quem veleja e vê golfilnhos ao lado do veleiro sabe como é. Imagino o que deve ser encontrar uma baleia… Se tudo der certo ano que vem saberemos, durante o Costa Leste…
Vamos ver…
tangata1
Depois foi motor até jogarmos ferro no Cedro. Bote na água (não sem antes uns bons mergulhos) e um churrasquinho no Mony, regado a Rampante (rum, suco de laranja e suco de abacaxi, um toque de limão e club soda com gelo…).
As fotos da festa estão na máquina da Diana… no próximo post coloco as melhores aqui… Inté lá…

Sobre Ricardo Amatucci

Trabalhar com amor, afinco e seriedade. Chegar lá será a consequência!
Esta entrada foi publicada em Uncategorized. ligação permanente.