Prisioneiros em Catu

Dia seguinte, segunda dia 17, chagava o Ronaldo do veleiro Feitiço, e havíamos combinado de nos falar e talvez ir a Morro de São Paulo juntos. Conversamos por telefone e confirmamos a ida. Para isso, devíamos voltar a Catu e contatar um prático que nos acompanharia pela saída mais curta, chamada Barra Falsa. Um lugar cheio de bancos de areia, temido por muitos mas segundo informações seguras (?), sem maiores problemas. No entanto, a rota do guia e a do GPS não batiam, de maneira que achei melhor contatar o prático que havia sido indicado pelo David…
Na saída, fui verificar como de costume o nível do óleo e constatei que estava um pouco baixo. Abri o motor e vi água (que lambida mostrou-se salgada) no poceto. Uma verificação mais atenta e cheguei ao retentor da bomba d’água, vazando.

Fomos para Catu com a maré em marcha lenta, e chegando lá, retirei a bomba para ver se não era junta ou outro problema… mas era mesmo o retentor. Resultado, liguei pro mecânico em Salvador que, no dia seguinte veio retirar a bomba. Aí ficamos no aguardo. Um dia para o diagnóstico (que já sabia), mais um pra comprar as peças e o terceiro pra vir com ela montada e instalarmos.

Ficamos por aqui, com cervejinha, banho de mar, passeios pelas ruas de areia comendo cajus e matando o tempo. Num dos passeios voltamos à praia das manilhas, agora com a maré cheia. Com água pela cintura, chega-se às manilhas que têm água pura e doce em seu interior. Sem sair da água do mar dá pra beber e se banhar em água doce… A Bahia é uma bênção ! Em outro passeio topamos com um rapaz que levava sua “Jandaia” – uma espécie de psitacídio (papagaio) pra passear. A Helena vibrou…

Também conhecemos um rapaz chamado Toni, que veio de Salvador com um Bruma 19 e foi muito solícito quando estava à procura do prático, me levando de carro até a casa dele. De ruim mesmo só o atraso…
Pela previsão, amanhã as 5 da manhã devemos sair para Morro…

Sobre Ricardo Amatucci

Trabalhar com amor, afinco e seriedade. Chegar lá será a consequência!
Esta entrada foi publicada em Uncategorized. ligação permanente.

Uma resposta a Prisioneiros em Catu

  1. Grande Ricardo Amatucci. Estou agora no Aratu. Troxe o Equador de Cabedelo até aqui. Gostaria muito de conhecer a tão comentada Baia de Todos os Santos, mas como agora tenho que trocar as velas por fraldas aproveitei para fazer essa viagem,virtualmente, a bordo do Tangata. Amanhã 23 vôo para SP. Continue blogando. Nos próximos meses só vou velejar no blog dos amigos. Um grande Abraço!

Os comentários estão fechados.