Bahianização…

Ao contrário do que muita gente pensa, a Bahia não é só Pelourinho, Mercado Modelo e Olodum.
Isso também, mas é muuuuuuuuuito mais. Um estado grande, com paisagens deslumbrantes e um povo encantador, hospitaleiro e que tem muita história pra contar.
De piscinas naturais de águas absolutamente transparentes a ilhas perdidas rio adentro, cada lugarejo é uma descoberta.

Quando estivemos lá, não pudemos nos embrenhar pelo rio Paraguaçú, porque não deu tempo. Estávamos em Itaparica (o rio fica próximo da ilha) e iríamos pra lá no dia seguinte com tudo pronto: programação, waypoints e coisa e tal. Acabamos mudando nossos planos. Afinal, velejar é isso: ter a liberdade de ir pra lá ou pra cá na hora que quiser!
Agora “o universo conspirou novamente a nosso favor” paulocoelheanamente, e a convite do Comodoro do Aratu Iate Clube, Eduardo Moura, vamos voltar para curtir a Aratu-Maragojipe, regata que comemora este ano, 42 anos de existência.
Como todos os anos ela deve reunir por volta de 200 embarcações que saem de Salvador e de Aratu e vão para a cidade de Maragojipe, lá dentro do rio Paraguaçu. Na volta, claro, vou postar aqui fotos e o relato de como foi nossa aventura em águas baianas.

Quando você passa muito tempo na Bahia, acaba passando por uma bahianização.
São fases que vão sucedendo sem que você perceba. São cinco fases. É assim: Primeiro você entra em desespero. Nada funciona. Tudo é tão devagar que não dá pra entender como o estado ainda não faliu. A segunda fase é o conformismo: não adianta reclamar, é assim mesmo. Há anos. Não vão mudar por causa dos seus chiliques. Depois vem uma fase crítica, a do autoquestionamento. Você se pega em uma reflexão íntima perguntando a si: quem sabe eles estão certos e é assim mesmo? A quarta fase é da adoção dos valores baianos: É assim que tem que ser, eles estão certos, esse negócio de pressa só leva as pessoas para a cova mais rápido. E finalmente, a quinta e última fase: a incapacidade de viver em outro lugar ou pelo menos a certeza que voltará pra lá rapidinho…
Eita!

Sobre Ricardo Amatucci

Trabalhar com amor, afinco e seriedade. Chegar lá será a consequência!
Esta entrada foi publicada em Uncategorized. ligação permanente.

Uma resposta a Bahianização…

  1. sergio diz:

    Que Que é isto.. cabeça de vento…saudações e bons ventos..sempre…Sergio/Rita

Os comentários estão fechados.